Palco Giratório com oficina de dança e espetáculo "Dúplice" (GO)

Nos dias 28, 29 e 30 de setembro, o Sesc-RR deu continuidade ao projeto Palco Giratório, circuito gratuito de espetáculos culturais distribuídos para regionais da instituição, totalizando 145 cidades. Além da oficina de dança todo o público  prestigiou o espetáculo "Dúplice", no Teatro Jaber Xaud (Sesc Mecejana).

Durante a oficina um estudo de seqüências coreográficas e partituras rítmicas básicas, exercícios respiratórios e de voz, bem como jogos e outras praticas que incitem a ludicidade, dramaturgia corporal e a espontaneidade foram os temas da oficina.

Na quinta e sexta, 29 e 30, o espetáculo "Dúplice" foi gratuito e baseado na dança contemporânea e teatro.

Os atores-bailarinos, Rodrigo Cunha e Rodrigo Cruz, travaram disputas corporais no palco do Teatro Jaber Xaud, utilizando técnicas da dança contemporânea e de percussão vocal. O enredo é uma verdadeira representação fiel da vida, uma disputa consigo mesmo e com o outro.

“A passagem dos artistas em nosso estado foi muito importante para a mudança de muitos olhares e pensamentos, pois se trata de uma dança fortemente ligada ao teatro, com elementos artísticos bem mais dinâmicos.  Todos que desejavam aprimorar sua capacidade de atuação e dança, saíram satisfeitos”, disse Renato Barbosa, coordenador de cultura do Sesc-RR. 

Dúplice - Dúplice é um espetáculo cênico que se principiou durante um processo criativo, em um laboratório em que os dois autores-intérpretes, Rodrigo Cunha e Rodrigo Cruz, estiveram submersos em experiências corporais, sonoras e cênicas. A trama se desenvolve pela cumplicidade e o diálogo corporal, em um jogo físico e rítmico, cênicos e sonoros, com duas pessoas distintas, dois únicos, frente a frente, lado a lado, dobrando, fingindo, forjando. Dúplice.

Mais cultura - Após a apresentação do espetáculo, toda a platéia conheceu a exposição "Desalinho", que se iniciou com a performance de Marcos Ferreira, artista plástico que costuma apresentar seus trabalhos expressando o período de metamorfose da borboleta que, num inevitável momento de desenvolvimento e transformação, deixa o casulo e voa enquanto outro ser, um novo ser - metáfora que dialoga com o processo de criação do artista.Visitantes poderão criar e modificar a obra conforme suas habilidades, sua criatividade e suas emoções a respeito do que se sente ao ver a obra. A exposição "Desalinho" permanece para visitação gratuita, na Galeria de Artes Franco Melchiorri, até o dia 14 de outubro. 

RECENTES

21
Jun2019
Recreação - Inscrições abertas para Brincando nas Férias 2019
10
Jun2019
Atleta roraimense de 17 anos representará Roraima na Copa Pacífico
29
Mai2019
Mesa Brasil realiza oficina de aproveitamento integral de alimentos
27
Mai2019
Sesc reinaugura Estância Ecológica em Tepequém, um dos maiores polos turísticos de Roraima
24
Mai2019
Aprenda como utilizar integralmente os alimentos com receitas do Mesa Brasil
20
Mai2019
#ParaCopa-JinSesc - Sesc promove semana inclusiva com atividades Paradesportivas